A importância dos Índices Zootécnicos Reprodutivos na Santa Luzia

  • 05-10-2016

A Fazenda Santa Luzia, localizada na região de Passos MG, tem em sua filosofia a busca pelo pioneirismo. Foi precursora na implementação da fertilização in vitro (FIV) em 100% do rebanho e também a primeira fazenda a utilizar ordenha robotizada em sistema carrossel para animais Girolando no país.

Com o desafio de ser eficiente na produção de leite e ao mesmo tempo produzir animais para a comercialização, tem a reprodução como peça fundamental para alcançar seus objetivos.

As melhores vacas da Fazenda se tornam doadoras e são acasaladas com touros Top, utilizando sêmen sexado de fêmea. Isso garante o nascimento de um expressivo número de bezerras geneticamente diferenciadas e permite que a Fazenda produza fêmeas suficientes para reposição do seu plantel de matrizes e ainda realize o seu grande Leilão Anual.

Manejo Sanitário da Fazenda
A Fazenda Santa Luzia é certificada para Brucelose e Tuberculose pelo Ministério da Agricultura e, em 2015, participou de um programa de identificação e eliminação dos animais PI para BVD, assumindo o status de livre da doença (BVD) com vacinação. Possui um calendário sanitário bastante rigoroso que abrange as principais doenças reprodutivas, dentre elas a IBR, BVD e Leptospirose.

Utilização de FIV na rotina reprodutiva
A utilização da técnica de fertilização in vitro (FIV) vem aumentando ao longo dos anos (Figura 01) na Fazenda Santa Luzia, sendo que nos últimos 3 anos, 100% dos eventos reprodutivos foram realizados através da transferência de embriões. Uma das principais vantagens da FIV é a utilização de sêmen sexado, o que resulta em uma maior proporção de fêmeas nascidas (Figura 02), viabilizando a utilização de sêmen de touros com maior mérito genético.

Avaliação dos índices reprodutivos
O principal índice que avalia a eficiência na reprodução da Santa Luzia é a taxa de prenhez. O trabalho de avaliação é realizado a cada 21 dias e contempla: taxa de serviço (número de animais cobertos dividido pelo numero de animais aptos) e taxa de concepção (número de animais que emprenharam dividido pelo número de animais cobertos). Multiplicando a taxa de serviço pela taxa de concepção obtém-se a taxa de prenhez. Desta forma é possível mensurar a velocidade em que as vacas estão emprenhando. A figura 03 mostra os resultados de taxa de prenhez em vacas em lactação nos últimos anos na Santa Luzia e mostra a evolução obtida nos resultados.

Além da taxa de prenhez, outro índice muito importante avaliado é a perda de gestação. Este índice é avaliado principalmente entre 30 a 65 dias de gestação. Pois como podemos observar na figura 4, a perda de gestação entre o primeiro diagnóstico de gestação e o parto foi de 30%, destes 30%, 15% (50% do total) ocorreram entre 30 e 65 dias de gestação. Uma forma importante de avaliar as perdas de gestação é por períodos (Ex. por protocolo, por mês do ano), assim é possível observar variações nos resultados e investigar possíveis fatores que possam estar interferindo na manutenção da gestação, como por exemplo na figura 5, que mostra maior perda de gestação nos meses de janeiro e outubro.

 

Produzido por: Marcos Henrique Colombo Pereira, José Luiz Moraes Vasconcelos e Mauricio Silveira Coelho. 
Adaptado por: IVB.

Jornal O Embrião SBTE 2016